domingo, 27 de fevereiro de 2011

Recicle seu óleo de cozinha usado e preserve o meio ambiente...

Vocês já devem ter escutado falar no mal que o óleo em excesso pode causar no nosso organismo, certo?

O consumo excessivo causa o entupimento das artérias e o uso repetido do mesmo óleo em altas  temperaturas é o grande responsável pelo envelhecimento precoce e facilitador de células degenerativas (câncer).
Ainda, no processo de fritura em elevadas temperaturas o óleo sofre mudanças físico-químicas pela interação com o ar, água e alimentos e pode formar ácido graxo. A medida que aumenta o teor de ácido graxo no óleo de fritura aumenta a viscosidade, ou seja, o óleo fica mais grosso. A mistura destes sub-produtos gerados pelo aquecimento do óleo em repetidas frituras quando ingeridos pelas pessoas inibem as ações das enzimas pancreáticas diminuindo o ritmo da digestão. Assim, é muito comum a pessoa passar mal após comer um salgado frito com óleo de fritura usado várias vezes.

Mas você já parou para pensar o que o óleo de cozinha usado, descartado incorretamente pode causar no meio ambiente?

Por ser menos denso que a água, o óleo de cozinha flutua sobre ela formando uma película superficial, provocando retenção de sólidos, entupimento das tubulações causando refluxo do esgoto quando descartado em pias, ralos e vasos sanitários com isso causando o encarecimento do custo do sistema de tratamento dos resíduos em 45% pelas empresas de saneamento básico. Nos arroios e rios, a película formada pelo óleo de cozinha dificulta a troca de gases entre a água e a atmosfera, tornando o ambiente aquático poluído e por consequencia causando a morte dos organismos que ali vivem.
Se derramado no solo, o óleo de cozinha pode impermeabilizá-lo contribuíndo com enchentes e alagamentos. Além disso destrói a cobertura vegetal e deixa o solo infértil. Pode ainda atingir o lençol freático e contaminar a água subterrânea.
Se não bastasse, a decomposição do óleo de cozinha emite metano na atmosfera. O metano é um dos principais gases que causam o efeito estufa contribuindo para o aquecimento global.
Você sabia que estimativa é que um litro de óleo de cozinha, jogado pelo ralo da pia contamine até um milhão de litros de água. E que essa quantidade seria suficiente para uma pessoa viver por cerca de 14 anos?

Está pensando que isso é apenas mais um papo de ambientalista?
Pode ser... mas estou falando algo concreto, real... que acontece todos os dias... é um agressor a mais no meio ambiente e a maioria das pessoas não tem consciência deste ato que parece tão banal, ou muitas vezes tem consciência mas não sabe o que fazer ou como fazer.

Criamos na faculdade, alguns colegas, professora e eu, um grupo onde desenvolvemos um projeto que tem por objetivo promover a conscientização e sensibilização da sociedade sobre a importância do reaproveitamento do óleo de cozinha, que pode ser transformado em novos produtos, assim estamos sugerindo a redução do uso de matéria-prima, o aumento da reutilização e da reciclagem. Com isso estamos contribuíndo com a preservação e conservação do meio ambiente, ressaltando a responsabilidade sócio-ambiental que cada um de nós devemos ter frente ao meio em que vivemos.


Em muitas cidades há projetos semelhantes da iniciativa privada ou de prefeituras que mantém pontos de coleta para recolher o óleo usado. Assim a população pode dar um destino correto a este rejeito que é um grande agente poluidor.
Outro destino correto dado ao óleo de cozinha é a transformação deste em sabão ou detergente líquido, uma de nossas ações no projeto. Já testamos diversas receitas com bons resultados.

Esta semana eu fiz em casa! Quer fazer também?


Receita de Sabão de óleo de cozinha usado





Coloca-se em um balde (ou bacia) de plástico 2 litros de água fria, 2 colheres de farinha de milho, 1 kg de soda (usei a marca Lipon) e mexer com uma colher de pau (de cabo longo) por 10 minutos.














Depois colocar 5 litros de óleo pré-aquecido e mexer por 20 minutos em sentido horário (é muito importante mexer apenas no mesmo sentido).











Despejar em bacias de plástico, forminhas, ou até mesmo caixinhas de leite e embalagens plásticas que iriam para o lixo. Deixar repousar por 24 horas, ou mais, depende da temperatura e da umidade.








Cortar em pedaços e deixar no recipiente em que foi colocado por mais 24 horas e virar. Gradear para secar por cerca de 15 dias. Está pronto o sabão.



Viu só?!?!? É muito fácil!!

Mas é preciso prestar atenção em alguns detalhes e tomar alguns cuidados básicos para sua segurança:

NUNCA... JAMAIS utilize recipientes de alumínio para fazer o sabão... a soda reage com o alumínio, e além de estragar seu utensílio pode causar um grave acidente.

Tenha sempre muito cuidado, a soda é um produto químico altamente tóxico e pode ser muito perigoso se manuseado ou inalado portanto USE LUVAS E MÁSCARA e faça seu sabão em um ambiente aberto, bem ventilado. Além disso mantenha crianças e animais domésticos bem longe desta tarefa.

Se você quer experimentar, faça o sabão e depois me conte. Eu garanto que fica um excelente produto, maravilhoso para lavar roupas e louça, dá um brilho incrível em panelas. Espuma que é uma beleza.

Se você não quer fazer o sabão mas quer descartar corretamente o seu óleo usado, então o despeje em garrafa pet e procure um ponto de coleta mais próximo de sua casa.

NOSSO PLANETA... NOSSA CASA... agradece!!


Beijos,

3 comentários:

Andre Carvalho disse...

Muito Bom ,informação muito importante,obrigado

cecilia.cascais disse...

ola adorei o seu blog,gostava de saber se a soda para fazer o sabao é a chamada soda caustica e se é liquida ou em pó,
Bijix

Eliz Schemitt disse...

Andre, é sempre bom transmitirmos um pouquinho de informação que seja, para contribuirmos com a preservação da natureza e consequentemente da nossa vida!!!

Cecilia obrigada pelo elogio ao blog. Sim é soda cáustica. A que usamos é aquela em escamas (flocos).
Beijos!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails